Trump, que lançou pré-candidatura, recebe um notório racista pra jantar

Além do supremacista branco Nick Fuentes, mesa do ex-presidente contou com Kanye West, cujas declarações antissemitas o tornaram um pária da indústria do entretenimento

Porto Velho, RO -
Na terça-feira à noite, o ex-presidente Donald Trump reuniu-se com figuras polêmicas e notadamente preconceituosas em seu clube privado na Flórida. À mesa, estavam Kanye West (que agora atende por Ye), ex-marido de Kim Kardashian que foi denunciado recentemente por fazer declarações antissemitas, e Nick Fuentes, conhecido supremacista branco. 

West viajou para se encontrar com Trump no clube, em Mar-a-Lago, e teria levado Fuentes junto, segundo fontes. A quarta integrante do jantar de quatro pessoas foi Karen Giorno – que trabalhou na campanha de Trump em 2016 como sua diretora na Flórida.

Durante o jantar, West, que concorreu à presidência em 2020, teria informado a Trump que concorreria novamente e teria pedido a Trump para ser seu vice. Ele postou no Twitter um vídeo no qual descrevia o jantar. West contou ainda que o ex-presidente americano falou depreciativamente sobre Kim Kardashian.

Nos últimos anos, Fuentes, de 24 anos, desenvolveu um perfil de destaque na extrema direita e forjou laços com legisladores republicanos, como a deputada Marjorie Taylor Greene, da Geórgia, e o deputado Paul Gosar, do Arizona, em grande parte por meio de sua liderança de uma campanha anual de supremacia branca.

Negador do Holocausto e racista declarado, Fuentes usa abertamente uma linguagem odiosa em seu podcast. Nas últimas semanas, ele sugeriu que militares sejam enviados a bairros negros e exigiu que os judeus deixem o país.

Não ficou claro o quanto Trump sabia sobre o bem documentado fanatismo e extremismo de Fuentes antes do jantar. Em uma declaração na sexta-feira, Trump disse:

— Kanye West queria muito visitar Mar-a-Lago. Nosso jantar era para Kanye e eu, mas ele chegou com um convidado que eu não conhecia e sobre o qual não sabia nada — afirmou o ex-presidente.

Em um post na sexta-feira em seu site de mídia social, Truth Social, Trump disse que West "apareceu inesperadamente com três de seus amigos, dos quais eu não sabia nada". Trump disse que o jantar foi rápido e sem intercorrências. E logo Kanye e seus acompanhantes teriam partido para o aeroporto.

No início da noite de sexta-feira, Trump fez uma terceira tentativa de se defender, dizendo que o Kanye West havia pedido conselhos de negócios dele e “não expressou antissemitismo"

— Por que eu não concordaria em me encontrar? Eu também não conhecia Nick Fuentes — questionou Trump.

Mesmo levando em consideração o protesto de Trump de que não sabia nada sobre Fuentes, a aparente facilidade com que Fuentes chegou à casa de um ex-presidente está sob várias investigações - incluindo uma relacionada à manutenção de documentos confidenciais em Mar- a-Lago muito depois de ele deixar o cargo -e ressalta a natureza indisciplinada e descontrolada de Trump, apenas 10 dias após lançar a sua terceira campanha para a Casa Branca.

Um punhado de republicanos, incluindo pelo menos um aliado próximo de Trump, o repreendeu por se encontrar com Fuentes e West.

— Meu amigo Donald Trump, você é melhor do que isso — escreveu no Twitter David M. Friedman, que foi o advogado de falências de Trump por muito tempo e que foi nomeado embaixador em Israel. — Mesmo uma visita social de um anti-semita como Kanye West e uma escória humana como Nick Fuentes é inaceitável. Eu exorto você a jogar esses vagabundos fora, rejeitá-los e relegá-los para a lata de lixo da história a qual eles pertencem — completou.

—Este é apenas mais um exemplo de uma terrível falta de juízo de Donald Trump, que, combinada com seus maus julgamentos anteriores, o torna um candidato insustentável às eleições gerais do Partido Republicano em 2024 — disse Chris Christie, ex-governador de Nova Jersey, que está considerando uma candidatura própria.

Em uma declaração que não nomeou Trump, mas foi emitida em resposta ao jantar de Fuentes, Matt Brooks, executivo-chefe da Coalizão Judaica Republicana, disse:

—Condenamos veementemente o virulento anti-semitismo de Kanye West e Nick Fuentes e exortamos todos os líderes políticos a rejeitar suas mensagens de ódio e se recusar a se encontrar com eles.

Jonathan Greenblatt, CEO da Liga Antidifamação, também condenou o encontro de Trump com Fuentes.

— Nick Fuentes está entre os anti-semitas mais proeminentes e sem remorso do país. Ele é um fanático perverso e conhecido negador do Holocausto que foi condenado por figuras importantes de ambos os partidos políticos aqui. Você não pode dizer que se opõe ao ódio e divide o pão com os odiadores. É simples assim — disse Greenblatt em uma breve entrevista.

Em um comício chamado “Stop the Steal” em Washington em novembro de 2020, Fuentes instou seus seguidores a “invadir todas as capitais do estado até 20 de janeiro de 2021, até que o presidente Trump tome posse por mais quatro anos”. No mês seguinte, em um evento semelhante, Fuentes liderou uma multidão gritando “Destrua o GOP” (Partido Republicano) e pediu às pessoas que não votassem nas eleições de segundo turno do Senado da Geórgia em janeiro de 2021.


Fonte: O GLOBO

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem