De CR7 a Lewandowski: seis estrelas que podem se despedir do sonho da Copa do Mundo nos próximos dias

Europa só pode ter o gajo ou Jorginho na Copa, enquanto Salah e Mané voltam a se enfrentar valendo a vaga

Porto Velho, RO - O torcedor que preza pelos campeonatos com o maior número de estrelas possível pode preparar o coração para os próximos dias. A reta final das eliminatórias para a Copa do Mundo do Qatar pode marcar a despedida de até cinco grandes nomes de uma só vez. 

Os casos mais dramáticos etão na África e na Europa, que podem deixar nomes como Salah, Mané, Cristiano Ronaldo e Jorginho de fora.

Na África, o duelo é direto. Senegal e Egito reeditam a final da Copa das Nações Africanas — vencida pelos senegaleses — num confronto direto, ida e volta, pela vaga no Mundial. 

Os egípcios de Salah fazem o primeiro jogo em casa, no Cairo, nesta sexta-feira, e a partida de volta é na terça, em Dakar. Não há escapatória: uma das estrelas do Liverpool ficará de fora do que seria a segunda Copa do Mundo de suas carreiras, no possível auge de ambas.




Situação parecida acontece na Europa, onde Portugal e Itália não poderão se classificar juntas à Copa. As duas últimas campeãs da Eurocopa foram sorteadas para a mesma chave de repescagem. 

Amanhã, os portugueses recebem a Turquia no Porto, enquanto a Azurra mede forças contra a Macedônia do Norte em Palermo. As duas finalistas se encaram na terça-feira pela vaga no Mundial.

Tropeços decisivos

Na prática, a chave pode significar um adeus de um interminável Cristiano Ronaldo, de 37 anos, a sua possível quinta Copa ou a segunda ausência seguida dos italianos no Mundial após um ciclo promissor, que teve até recorde de 37 partidas de invencibilidade, contrabalanceado por tropeços em momentos decisivos na reta final de eliminatórias — como o empate contra a Irlanda do Norte, na última rodada.

Para o brasileiro naturalizado italiano Jorginho, a ausência seria um golpe duro. 

Herói do título da Euro contra a Inglaterra, o camisa 8 busca sua primeira Copa, após temporada em que foi eleito melhor da Europa e terminou em terceiro na Bola de Ouro. 

Assim como outros nomes promissores da geração italiana, como o goleiro Donnarumma, eleito melhor da Euro.

Itália de Jorginho (centro) viveu recorde de invencibilidade, mas tropeçou nas eliminatórias Foto: CARL RECINE / Pool via REUTERS

Missão um pouco mais fácil é a de Robert Lewandowski. Atual melhor do mundo pela Fifa, o centroavante viu sua Polônia rumar direto à final da chave após a exclusão da Rússia, em consequência da invasão à Ucrânia. 

De novo técnico — Czeslaw Michniewicz — após a saída de Paulo Sousa ao Flamengo, os poloneses encaram o vencedor de Suécia x República Tcheca na terça.

Na América do Sul, Messi e Neymar já garantiram suas vagas por Argentina e Brasil, mas o Uruguai de Cavani, Arrascaeta e Luis Suárez vive momentos decisivos. 

Em quarto (última vaga direta), tem confrontos diretos contra Peru (5º, vaga na repescagem) e Chile (6º). Pontuar nessas partidas e uma boa combinação de resultados pode ajudar Luisito e companhia a encerrarem sua geração com mais uma aparição num Mundial.


Fonte: O GLOBO

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem