Pupilo de Paulo Sousa no Flamengo, João Gomes tem jeito dócil que contrasta com imagem de pitbull; conheça

Volante corresponde a aposta do treinador, se firma como titular e tem valorização encaminhada

Porto Velho, RO - João Gomes era João Victor, mas trocou de sobrenome quando passou a fazer sucesso na base do Flamengo. O motivo foi uma homenagem ao avô, Valdomiro Gomes, o Seu “Mirinho”, policial militar aposentado que acompanhava o neto nos treinos desde pequeno, mas morreu de câncer em 2019, antes de o Flamengo ser campeão da Libertadores. 

Também não viu o garoto de 21 anos, nascido em Ramos, bairro da Zona Norte do Rio, despontar como titular e se tornar símbolo de uma reformulação em curso no Flamengo.

A relação com o avô paterno fez a jóia não conseguir segurar a emoção após sua melhor partida na temporada diante do São Paulo. E traduz, mais do que sua raça e suas estatísticas, uma personalidade diferente entre jovens jogadores. 

Lançado pelo técnico catalão Domènec Torrent, João Gomes só se firmou mesmo com o português Paulo Sousa. Em meio a assédio recente de clubes como Fortaleza, Santos, Bragantino e Botafogo. a diretoria conversa para valorizar o jogador e renovar novamente seu contrato, válido até o fim de 2025. As boas atuações na atual temporada o colocam como titular indiscutível mesmo diante da forte concorrência com nomes de maior peso, como Arão, Thiago Maia e Andreas Pereira.

A ascensão não foi simples. Na base do Flamengo, onde chegou com 12 anos, o menino esteve ameaçado de dispensa por quatro ou cinco vezes. Com a carreira gerida pelo empresário Carlos Leite, houve pedidos para que o clube apostasse mais um pouco, e a insistência acabou recompensada. Desde que despontou, João Gomes demonstra comportamento diferente. 

Ao exercer com raça a função em campo, pode passar a impressão de cerca truculência. Mas o jogador é o chamado pitbull à moda antiga. Sua voracidade nos desarmes, quesito que lidera na equipe, dá lugar a um jeito dócil, de sorriso tímido, e que reflete um rapaz amoroso. 

Não apenas com a namorada Mylla, mas também com a mãe, Monique. Filho de pais separados, convive bem com o pai, Sergio Victor, e se impõe nas relações de grupo.

No Flamengo, soube esperar sua vez, respeita a todos e é respeitado, mesmo sendo muito jovem. Tem boa entrada com jogadores mais novos e mais velhos. Recentemente, foi assediado por empresários que lhe ofereceram promessas mirabolantes, mas ligou para seus agentes para renovar o contrato de procuração e manteve a fidelidade. 

Em outro momento, pediu orientação para gerir as finanças, pois tinha bom salário e estava com a conta negativa. O agente achou que ele estava querendo um empréstimo e não sabia como pedir. Ligou, disse que transferiria o valor. 

João falou que não queria dinheiro, que queria aprender a administrar o próprio recurso. Natural de um bairro berço do samba, gosta de pagode, mas é também adepto de músicas religiosas. Só que normalmente não está preocupado com coisas supérfluas e materiais. E sim em fazer o bem.

Em campo, os números indicam que João Gomes é de fato o pupilo de Paulo Sousa. Atuou em 18 das 20 partidas em 2022. E de acordo com o portal SofaScore, lidera em cinco quesitos na temporada: duelos ganhos, bolas recuperadas, faltas sofridas, dribles certos e interceptações. Faltava-lhe criar mais situações de gol, o que acabou ocorrendo diante do São Paulo.

— Tem que associar a dinâmica com bola mais rápida, seja em passes curtos, médios e longos. É onde tem que melhorar para se tornar um jogador de um nível bem mais elevado. Acreditamos e temos a ideia de criar dinâmicas que possam ajudá-lo — afirmou o técnico após a vitória de domingo. No Brasileiro, após duas rodadas, o volante é o primeiro em duelos ganhos, bolas recuperadas, faltas sofridas, dribles certos e interceptações

O bom retrospecto coloca João Gomes como um dos principais candidatos a receber uma proposta do exterior na janela de transferências do meio do ano. Em janeiro, o Flamengo já segurou o atleta depois do assédio do futebol árabe. Jogador e agentes indicaram o desejo de sair, mas Paulo Sousa argumentou que daria sequência ao volante, e tem cumprido a promessa no intuito de valorizá-lo.

Contra o Palmeiras, amanhã, é João Gomes e mais dez. O treinador não terá ainda Bruno Henrique, assim como os zagueiros Rodrigo Caio, Fabrício Bruno e Gustavo Henrique. Pablo é o único que tem chances de reforçar o Flamengo.


Fonte: O GLOBO

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem