Análise: Diante do São Paulo, Flamengo de Paulo Sousa dá indícios de que encontrou o rumo

Próximas partidas, principalmente contra o Palmeiras, serão fundamentais para técnico consolidar seu trabalho

Porto Velho, RO - Foi só uma boa atuação, por enquanto. Mas o Flamengo voltou a dar um gostinho daquele futebol ofensivo que não dá muitas chances ao adversário. No Maracanã, mais de 50 mil rubro-negros vibraram tanto com a vitória sobre o São Paulo por 3 a 1, pela segunda rodada do Brasileiro, quanto com o jogo consistente na defesa e o poder de fogo no ataque.

Mais do que a primeira vitória no Brasileiro, o triunfo acalma os ânimos internos e externos no rubro-negro, que ainda tenta consolidar o trabalho do técnico Paulo Sousa. O treinador provou, mas terá de comprovar que a equipe está no rumo certo diante do Palmeiras, na próxima quarta-feira, também no Maracanã. 

O jogo é antecipado da quarta rodada, pois houve conflito de datas com as partidas dos dois times pela Libertadores.

Contra o principal adversário dos últimos anos, mais uma vitória —desde que conquistada com outra atuação convincente — pode dar certa paz ao português no comando do Flamengo. Os triunfos na Libertadores, sem tanto brilho, compõem o momento favorável ao treinador.

Tarde de João Gomes

Ele, no entanto, não se deixa levar apenas por um bom domingo. Tem consciência de que seu trabalho ainda está sendo implementado e é preciso respeitar o processo. Numa análise mais profunda de ontem, ele enxerga algumas inconsistências na recomposição de jogo, por exemplo.

—Conforme vamos pra frente, quando abaixarmos (a marcação), também temos que juntar mais linhas. Sempre que fizemos tivemos capacidade para defender, e com as linhas mais distantes demos mais possibilidade ao adversário, é algo que temos que melhorar.

 Sempre que a bola entra no nosso bloco precisamos ser mais intensos — analisou, completando. — Quando o resultado é ruim nem tudo está ruim, e quando é bom nem tudo está bom. Há muito coisa dentro do processo para continuarmos a ser consistentes.

O treinador não é tão sisudo a ponto de negar os avanços do time. Ele destacou o equilíbrio da equipe e o poder de fogo. Além da importância de dar espaço aos jovens do elenco. Ontem, por exemplo, o volante João Gomes foi o destaque do jogo ao lado de Arrascaeta. Ele roubou bolas fundamentais na construção das jogadas de gol e deu passe para um deles. Lázaro e Matheus França provam o ponto de Paulo Sousa, com boas atuações.

— Sempre falo da importância de todos os garotos do elenco. Quando treinam bem, se dedicam, estão concentrados, eles têm mais chances de jogar. Parabéns a todos e a quem fez a leitura do jogo do banco, percebeu o que tinha que ser feito — disse o treinador.

No domingo, ele teve papel decisivo nas mudanças promovidas na equipe no segundo tempo e também fez boa leitura de jogo ao tirar Rodinei, que falhou no gol de empate do São Paulo, marcado por Calleri, de cabeça— o quarto dele no Brasileirão. O lateral passou a ser vaiado por parte da torcida e deu lugar a Isla, que vinha tendo poucas chances no time titular.

De quebra, recuperou o lateral-direito jogando mais aberto como ala, como mais uma opção no time. Matheuzinho, que vem sendo o titular, não jogou por causa de lesão.

Aos poucos, Paulo Sousa vai moldando o time e criando alternativas. Lázaro, por exemplo, jogou no lugar de Bruno Henrique, também machucado. O estilo de jogo é outro, mas dá consistência à marcação e protege mais a defesa.

Os próximos jogos serão a prova dos nove para o técnico português.


Fonte: O GLOBO

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem