Ações em prol da saúde mental são intensificadas durante a campanha “Janeiro Branco”


Prefeitura da capital oferta atendimentos nos centros de atenção psicossocial

Porto Velho, RO - 
O ano de 2022 inicia com ações de atenção à saúde mental em Porto Velho com a chegada da campanha Janeiro Branco, que procura conscientizar a população sobre a importância de manter o bem-estar físico e mental.

A campanha iniciou na última semana com uma palestra sobre o tema aos funcionários de uma empresa da capital. Até o final de janeiro, outros estabelecimentos também receberão as equipes para conscientização do tema.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) também promoverá uma ação alusiva ao mês no dia 28, a partir das 16h, no Parque Jardim das Mangueiras, na avenida Vieira Caúla com a avenida Guaporé. Participarão profissionais dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) AD, Infanto Juvenil, além do Caps estadual Madeira Mamoré.

Com o tema “Quem cuida da mente, cuida da vida”, serão oferecidos serviços como conversa com psicólogos, teste de glicemia, aferição da pressão arterial, massoterapia, além de atividades de dança.


População pode buscar apoio nos centros de atenção psicossocial do município

“Prevenir sempre será melhor que remediar, e isso pode ser iniciado com pequenos hábitos, como a realização de uma atividade física, conversas com familiares, ou diminuição do uso das redes sociais. Isso promove qualidade do sono, melhora do humor, e, consequentemente, contribui para o bem-estar”, explica a psiquiatra do Caps, Renata Agostinho.

ACOLHIMENTO

Durante o ano, a Prefeitura busca acolher a população através dos centros de atenção psicossocial. No Caps Infanto Juvenil, voltado para o público de 5 a 16 anos e 11 meses, os atendimentos redobraram devido à pandemia da covid-19, devido ao fechamento das escolas, o isolamento e a perda de familiares.

Também são oferecidos atendimentos no Caps Três Marias, direcionado para pessoas acima de 17 anos com transtornos mentais. Já o Caps AD é exclusivo para pessoas a partir de 17 anos, que sofrem com o uso de álcool e drogas.

“Corpo e mente são uma estrutura única. Muitas pessoas não conseguem manter o autocuidado e acabam adoecendo. Em casos assim, é fundamental buscar ajuda de um profissional médico e o município conta com uma ampla estrutura para amparar essas pessoas”, finaliza a psiquiatra.

Texto: Semusa
Foto: Leandro Morais
Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem