Falta de médicos e técnicos na UPA Sul vira caso de polícia neste início de noite do sábado

   


Porto Velho, Rondônia – Um clima de revolta e indignação tomou conta das pessoas que desde o final da tarde deste sábado, 04, estão buscando atendimento na UPA Sul, na capital.

A situação decorre da falta de médicos e ausência de outros profissionais de saúde, que de acordo com a escala fixada num painel da recepção deveriam estar trabalhando, porém não estão.

Tal fato gerou muita insatisfação, e devido a demora em se solucionar o problema pessoas que aguardavam atendimento acabaram acionando a Polícia Militar, além de levar o caso ao conhecimento de vereadores.

Por enquanto, a direção da unidade não apresentou explicações convincentes acerca do ocorrido, e ninguém informou por qual motivo só há uma médica no plantão, quando deveria haver pelo menos mais dois médicos.

Os manifestantes também afirmam que na escala está determinado que deveria haver seis plantonistas no laboratório da UPA, porém não há ninguém neste início de noite.

O atendimento de forma precária contraria o próprio sentido da existência da unidade, cuja sigla significa “Unidade de Pronto Atendimento”, porém não está havendo de jeito nenhum tal presteza em atender os pacientes que dão entrada.

A Polícia Militar permanece na UPA Sul tentado intermediar uma solução ao descaso, assim como trabalhando no sentido de evitar tumulto.

O que se espera é que as autoridades municipais tomem providências urgentes para reestabelecer a ordem e determinar que os plantonistas cubram as escalas determinadas, fazendo jus ao que recebem para trabalhar.

É esperado, também, que o caso tenha repercussão na Câmara dos Vereadores e que o Parlamento tome uma atitude para que a administração municipal explique o que está acontecendo e corrija as deficiências no atendimento à população.

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem