Fui comprar um caixão para minha filha ao invés de um presente de Natal

 

Meuki Malinoski morreu aos 17 anos por complicações da Influenza, segundo a família. Secretaria de Saúde informou que Candeias do Jamari (RO) possui apenas um médico para atender urgência e emergência.

Porto Velho, RO - 
Familiares e amigos de uma adolescente de 17 anos fizeram um ato nesta quarta-feira (29), pedindo melhorias no atendimento de saúde em Candeias do Jamari (RO). A manifestação foi motivada pela morte de Meuki Malinoski, que procurou uma unidade de saúde da cidade três vezes seguidas com sintomas de Influenza antes de falecer na véspera de Natal, segundo a família.

"É muito doído você enterrar uma filha. Eu fui comprar um caixão para minha filha ao invés de um presente de Natal", comentou o pai de Meuki.

Segurando vários cartazes e vestidos com roupas brancas, dezenas de pessoas caminharam pelas ruas de Candeias do Jamari durante a manifestação. "Candeias pede socorro", "a saúde morreu na fila de espera", "tem tanta coisa errada que não cabe em um cartaz" são algumas das frases escritas em protesto.


Após morte de adolescente, familiares fazem ato pedindo melhorias na saúde pública de Candeias do Jamari, RO — Foto: Jefferson Carvalho/Rede Amazônica

Entenda o caso

Segundo os familiares, a adolescente estava com sintomas comuns de gripe e procurou a única Unidade de Pronto Atendimento da cidade. No local, o médico teria receitado um "xarope" que na opinião da família não contribuiu para a melhora do quadro.

"Ela me disse que a garganta tinha piorado e me mandou foto do rosto inchado. Ela disse que o xarope queimava mais ainda a sua garganta", conta a irmã de Meuki.

Na quarta-feira (22), dois dias antes de falecer, a mãe e a adolescente retornaram na mesma unidade de saúde e teriam aguardado por cerca de cinco horas antes de serem atendidas.

No dia seguinte, o quadro de Meuki piorou. Ela estava tossindo muito sangue e, por este motivo, foi levada pela terceira vez até a UPA. Segundo a família, os profissionais negaram atendimento por não ser um caso "preferencial" e a mãe decidiu ir por conta própria para um hospital particular na cidade vizinha, Porto Velho.

Na capital, a adolescente precisou ser amparada com oxigênio e os médicos constataram que seus pulmões estavam comprometidos. No dia seguinte Meuki morreu, após sofrer duas paradas cardíacas e ter falência múltipla de órgãos.

De acordo com o diretor da UPA de Candeias, Alex Assunção, Meuki foi atendida nas duas primeiras vezes que procurou ajuda e na última vez a mãe foi quem decidiu não esperar o atendimento.

Situação da Saúde em Candeias



Após morte de adolescente, familiares fazem ato pedindo melhorias na saúde pública de Candeias do Jamari, RO — Foto: Jefferson Carvalho/Reprodução


Fonte: G1 Rondônia

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem