6/recent/ticker-posts

UNICEF - Porto Velho sedia o 1º Fórum Comunitário do Selo Unicef


Capital é um dos mais de 2 mil municípios que aderiram à edição 2021-2024

Com o compromisso de continuar priorizando as políticas públicas pela infância e adolescência, o município de Porto Velho sediou, nesta quarta-feira (27), o 1º Fórum Comunitário do Selo Unicef na Amazônia.


O evento aconteceu no Teatro Banzeiros e é organizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Família (Semasf), com o suporte da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

Presente no encontro, o vice-prefeito Maurício Carvalho lembrou que há uma série de questões para debater e materializar acerca do direito das crianças e adolescentes. “É preciso combater a vulnerabilidade e ter essa atenção. O selo da Unicef é a garantia de que as ações de nossas secretarias estarão focadas na qualidade de vida dessa faixa etária”, comentou.

Com a adesão do Selo Unicef, Porto Velho avança rumo à certificação cedida pelo braço das Organização das Nações Unidas para a Infância e Adolescência. A capital é um dos mais de 2 mil municípios que aderiram à edição 2021-2024 da iniciativa e foi o primeiro município a realizar o Fórum Comunitário.



Vice-prefeito de Porto Velho, Maurício Carvalho

Segundo Claudi Rocha, titular da Semasf, a Prefeitura montou um tripé estratégico ao priorizar a assistência social, educação e saúde municipal. “Nós estamos unidos para que Porto Velho caminhe na direção certa para o Selo Unicef. Então, várias reuniões de articulação foram viabilidades. Este não é um trabalho fácil e estamos de fato focados na missão de sermos uma capital que seja exemplo para todo o Brasil”, enfatizou.

Para a secretária da Semed, Gláucia Negreiros, a pasta trabalha vários programas e com destaque para o resgate de alunos que se evadiram do ambiente escolar durante o período mais restritivo da pandemia da covid-19. “Nós fomos até a residência desses alunos buscar informações que levaram ao desligamento escolar. Na ação, levamos material escolar e alimentação para que a criança e a família encontrem incentivo para voltar à escola. O programa Busca Ativa já nos trouxe resultados expressivos com o retorno dos alunos nesse momento mais flexível do decreto de enfrentamento à pandemia”, destacou.

Médica pediatra, a secretária-adjunta da Semusa, Marilene Penati, lembrou da importância da credibilidade que o Selo Unicef oferta ao município. “A nossa saúde tem base na educação. Pessoas esclarecidas adoecem menos regularmente e crianças educadas certamente serão adultos melhores. Esse é o grande compromisso”, afirma.



Elizabeth Cavalcante, oficial de comunicação do Unicef


FÓRUM COMUNITÁRIO

O primeiro fórum teve o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e de entidades governamentais e da sociedade civil, e é uma das grandes etapas do projeto Selo Unicef.

O evento é um momento de planejamento participativo, troca de informações e diálogo entre diversos membros da comunidade sobre políticas públicas municipais voltadas para a infância e adolescência.

O objetivo é aprovar o Plano de Ação Municipal pelos Direitos de Crianças e Adolescentes. Na prática, o documento norteará o município ao longo desta edição do Selo Unicef, partindo de um diagnóstico inicial sobre a situação das crianças e adolescentes em Porto Velho. A partir disso, em conjunto com a população, o “Plano de Ação” é traçado.

Segundo Elizabeth Cavalcante, oficial de comunicação do Unicef, sediada em Manaus, há uma preocupação constante na busca de ações que oportunizem ações estratégicas de políticas públicas e de participação social. “Trata-se do primeiro em execução na Amazônia Legal. Aqui se fecha uma agenda que vai durar quatro anos e envolve a sociedade de forma geral. O nosso papel aqui é parabenizar o município por aderir ao Selo e esperar uma possível certificação internacional”, afirma.

UNICEF

O Fundo das Nações Unidas para a Infância trabalha em alguns dos lugares mais instáveis do planeta para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o Unicef trabalha para que cada criança consiga construir um mundo melhor para todos.



Postar um comentário

0 Comentários