Porto Velho, RO – Na última quinta-feira (17), o site Rondônia Dinâmica veiculou matéria intitulada “CPI da Energisa pediu ao MP de Rondônia e ao MPF providências cíveis, administrativas e criminais contra o diretor André Theobald”.

Sobre o conteúdo veiculado, o empreendimento encaminho nota à redação expondo seu lado a respeito do caso.

Confira:

A Energisa está confiante no plano de trabalho que desenvolveu para Rondônia. Desde que chegou ao estado, em outubro de 2018, a empresa já incluiu mais de 58 mil clientes no sistema de distribuição de energia. Na prática, isso equivale a dar acesso à energia elétrica para cerca de 200 mil pessoas, mais de 10% da população de Rondônia que não tinha eletricidade ou que estavam ligados por meio de redes clandestinas e inseguras.  Esta semana, a empresa ligou mais duas subestações de um conjunto de 15 grandes obras entregues em 2020, com investimento de mais de R$ 1 bilhão.

O volume investido em apenas dois anos é superior ao que foi investido em 10 anos de controle estatal. Todas essas iniciativas já se refletem nos indicadores de qualidade da concessão, que são reportados mensalmente para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), cuja regulação a empresa segue integralmente.  

Além disso, a Energisa ampliou em mais de 50% seu quadro de colaboradores desde que assumiu a companhia. Em conjunto com os colaboradores das empresas terceirizadas somamos mais de 4 mil trabalhadores, e hoje somos o maior empregador privado do Estado de Rondônia. A Energisa promove a inclusão social dos que não tem acesso à energia, investe, emprega e contribui para o desenvolvimento sustentável e o bem estar de todos Rondonienses.

Este é o nosso compromisso. Esta é a verdade que deve ser conhecida.