URGENTE

MARIA DA PENHA É EMPOSSADA NA SECRETARIA DA PAZ EM RONDÔNIA


Foto: Ney Cunha
Rondônia é o segundo estado do país a criar a Secretaria Estadual de Promoção da Paz (Sepaz), que irá trabalhar políticas sociais específicas para tratar de pessoas viciadas em álcool e outros tipos de entorpecentes. A posse da titular da pasta, Maria da Penha de Souza Menezes e de sua adjunta, Sônia Maria dos Santos Pereira aconteceu na manhã desta quarta-feira (25), no auditório do Palácio Presidente Vargas e contou com a presença de autoridades e convidados.

O governador Confúcio Moura disse que a Sepaz irá apoiar as iniciativas existentes no Estado que hoje trabalham isoladas, sem apoio do governo estadual e federal. “Vamos fazer parcerias com as igrejas, bem feitores comunitários, ministério público, tribunal de justiça e outros órgãos para que juntos possamos ajudar as pessoas que tem dependência química e seus familiares”, afirmou. O governador também falou que será realizado um trabalho preventivo e disse que em Rondônia 95% dos presos tem envolvimento com o tráfico de drogas.

A secretária Maria da Penha disse que a Sepaz irá trabalhar uma nova forma de fazer política social oferecendo a pessoa que é dependente química acolhimento, tratamento inseri-la na sociedade. “A dependência química é uma doença e deve ser tratada como tal”, afirmou. A Sepaz foi criada em junho deste ano e esta em fase de estruturação, mas irá trabalhar em parcerias com as demais secretarias de Estado e com instituições não governamentais a exemplos de denominações religiosas que já trabalham na recuperação de pessoas viciadas em drogas.

Segundo Maria da Penha em Rondônia existem 31 comunidades de acolhimentos que trabalham praticamente sozinhas sem apóio governamental, “a partir de agora vamos trabalhar em parceria, o governo do Estado através da secretaria de Paz estará apoiando financeiramente essas instituições”. Como foi criada recentemente a Sepaz não tem orçamento, mas esta trabalhando para buscar recursos estaduais e também do governo federal, através do orçamento e do Plano Plurianual (PPA) de 2013.

Além de trabalhar na recuperação da pessoa portadora de dependência química, a Sepaz irá trabalhar ainda a prevenção através do programa “Rondônia Acolhe” que irá desenvolver vários projetos como “Jovens Promotores da Paz nas Escolas”, o projeto “Anjos da Paz” onde profissionais qualificados para o trabalho estará fazendo o acolhimento dessas pessoas, para encaminhá-las as unidades terapêuticas tocadas pelas igrejas, que serão parceiras neste trabalho.

O secretário de Estado da Paz de Alagoas, Jardel Aderico pioneiro na área e tem auxiliado na implantação da Sepaz em Rondônia disse que é um desafio trabalhar a prevenção da violência usando novas ferramentas e garantiu que o resultado é surpreendente em 2,6 anos de criação da Sepaz de Alagoas atendeu mais de 10 mil dependentes químicos e o resultado pode ser constatado na redução da violência e da criminalidade e ressaltou a importância de envolver os profissionais de educação na prevenção as drogas orientando os alunos nas escolas.

O deputado federal por Alagoas, Givaldo Carimbão, idealizador da Sepaz em Alagoas parabenizou o governador Confúcio Moura por ter compreendido a proposta da secretaria da Promoção da Paz e pela coragem de implantá-la no Estado e falou dos programas que Rondônia enfrente para combater a violência já que fica em uma região de fronteira com a Bolívia que produz cocaína, sem falar que é corredor para a droga que vem da Colômbia e Peru, “a média nacional é 2 mil presos para cada 1 milhão de habitantes, Rondônia tem 5 mil presos para cada 1 milhão de habitantes” afirmou e disse ainda que a maioria dos presos tem envolvimento com o tráfico de drogas a condenação desse crime é o dobro dos demais, ressaltou o alto custo que o governo do Estado tem com o sistema carcerário.

Carimbão disse que o Brasil tem 530 mil presos, sendo que 80% são usuários de drogas, em 40 anos o número de detentos no país aumentou 1.600% e afirmou que o sistema prisional brasileiro não recupera nem 10% dos presos, a maioria sai da prisão pior do que quando entrou. Rondônia tem cerca de 8 mil presos que custam ao Estado R$ 2,5 mil por mês.

Várias autoridades participaram da cerimônia entre elas, o prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho, o prefeito de Cacoal, Padre Franco, o secretário adjunto da Casa Civil, Edevaldo Soares, o deputado federal, Nilton Capixaba, os deputados estaduais, Valdivino Tucura, e Zequinha Araújo, o conselheiro do Tribunal de Contas, José Gomes de Melo e o senador em exercício, Tomas Correia.

Nenhum comentário