URGENTE

PARADA GAY DE PORTO VELHO DEVE ATRAIR 60 MIL PESSOAS




Com o slogan “Sem homofobia, mais cidadania”, o GGR (Grupo Gay de Rondônia) se prepara para oferecer uma das maiores festas anuais de Porto Velho no dia 11 de outubro. O trabalho começou em março, disse a presidente do GGR Niedina Gontijo, que espera receber cerca de 60 mil pessoas esse ano para prestigiarem o evento. Segundo Niedina a primeira parada da capital aconteceu em 2002. Participaram cerca de 1000 pessoas. A partir de 2005, o evento cresceu muito. Esse ano o GGR espera superar todas as expectativas de público. Vêm pessoas do interior de Rondônia e de outros estados, como o Acre e o Amazonas para participar da Parada LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transsexuais e Travestis). Niedina enfatizou as Paradas binacionais que houveram em 2007 e 2008 na cidade de Guajará-Mirim com o apoio do governo federal no Brasil e do governo da Bolívia. A vice-presidente do GGR Diana Cox, fala sobre a importância da Parada LGBT. Segundo Diana, o evento dá visibilidade para essa parcela da população que ainda sofre muito preconceito, principalmente lésbicas masculinizadas e travestis. O Grupo Gay de Rondônia apóia o projeto122 – PLC - projeto de lei que criminaliza a homofobia. Apesar das mudanças que ocorreram na sociedade desde 2002 quando houve a primeira Parada Gay no Estado, as organizadoras do evento ainda não acreditam que o Projeto de Lei que tramita nas Casas Legislativas do país e no STF (Supremo Tribunal Federal) pedindo a regulamentação da união estável entre pessoas do mesmo sexo saia do papel.

Nenhum comentário